Curso de Agronomia do Campus Cametá conquista nova nota em avaliação do MEC

O curso de Agronomia da UFPA, do campus universitário de Cametá, comemora o ótimo resultado obtido, em junho de 2017, na avaliação institucional realizada pelo ministério da educação (MEC). Baseado em critérios, como infraestrutura, instalações e corpo docente das graduações, o curso obteve nota 4, em uma escala de 5, um ponto a mais que na última avaliação realizada em 2014.

Em 2014, com 3 anos de implantação, o curso passou por sua primeira avaliação pelo MEC e obteve nota 3. Segundo o professor e coordenador do campus universitário do Tocantins/Cametá, Doriedson do Socorro Rodrigues, a nota 4 representa o envolvimento do corpo docente e discente da faculdade, assim como de seu corpo técnico, direção e vice da faculdade, para o sucesso do curso na região do Baixo-Tocantins, que sempre reivindicara um curso dessa natureza para o desenvolvimento regional. O curso está sob a direção do Dr. Rafael Ribeiro e vice-direção da Drª Mariana Casari.

“De 2014 em diante, a faculdade e a coordenação do campus buscam ações para o fortalecer, cada vez mais, as condições de funcionamento do curso. Houve aquisição de livros, obtenção de terras para desenvolvimento de projetos de intervenção, o aumento do quadro docente, foram adquiridos equipamentos e, acima de tudo, ampliou-se mais ainda o envolvimento do corpo docente com o curso, a partir de projetos de pesquisa, de extensão e de ensino” explica o coordenador do campus.

Avaliação – A avaliação ocorreu nos dias 5 a 7 de junho, com a visita in loco de dois avaliadores do MEC. Durante a avaliação, ocorreram reuniões com a coordenação do campus, bem como com a direção da faculdade de agronomia. Os alunos do curso foram ouvidos, assim como o corpo docente e técnico da faculdade e seu núcleo docente estruturante, o NDE.

Não menos importantes foram as visitas aos espaços de pesquisa, ensino e de extensão do campus, assim como visitas à área de terras doada para se constituir o campus II do campus de Cametá da UFPA.

Também foram analisadas as documentações da faculdade, observando-se que o curso de bacharelado em engenharia agronômica vem buscando formar "[...] agrônomos aptos a planejar, executar, avaliar e otimizar a atividade agropecuária, no sentido de formar cientificamente profissionais capazes de interpretar, analisar, promover, orientar e administrar de maneira crítica, comprometidos com o desenvolvimento agroambiental, compreendendo a diversidade e as necessidades sociais do meio rural, promovendo melhorias na qualidade de vida do homem rural (em especial o agricultor familiar), dando ênfase a esse segmento, o qual vem sendo permanentemente ignorado ou contemplado em segundo plano", como expresso na resolução 4.924, de 29 de maio de 2017, que aprova o projeto pedagógico do curso de bacharelado em engenharia agronômica do campus universitário do Tocantins/Cametá.

Curso – O Curso prevê que o engenheiro agrônomo tenha formação generalista, humanista, crítica e reflexiva. A graduação em engenharia agronômica possui três núcleos de estudos. Um voltado para conteúdos básicos, outro para os conteúdos profissionais essenciais e o terceiro voltado para os conteúdos profissionais específicos.

No ano de 2017, o curso forma sua primeira turma. Funciona, conforme seu projeto pedagógico, "[...] em turno matutino e vespertino (diurno), com período letivo compreendido de forma extensiva, sob o regime acadêmico seriado e com forma de oferta modular, sendo que sua carga horária total perfaz um total de 4.600 horas".

Atualmente, o curso atende discentes oriundos de diversos municípios do estado do Pará, como Abaetetuba, Oeiras do Pará, Mocajuba, Baião, Cametá, Igarapé-Mirim, Belém, dentre outros. A formação do aluno é concluída em 5 anos.


Texto: Elizandra Ferreira  – Assessoria de Comunicação da UFPA

Imagem: Reprodução / Google

-------------------------------------------

Publicado em: 14.06.2017